Leia este artigo em:

Efeitos da imunocastração na qualidade da carne de porcos destinados a produção de presunto curado

A imunocastração poderá ser interessante nos porcos destinados à produção de presunto, porque nos machos melhora o índice de conversão sem penalizar a qualidade da carcaça ou da carne e nas fêmeas...

4ª feira 28 Junho 2017 (há 1 anos 3 meses 21 dias)

Para tentar determinar o efeito do sexo e a imunocastração sobre crescimento e qualidade da carcaça e da carne de porco, um total de 48 animais Duroc x (Landrace × Large White) (24 machos e 24 fêmeas, 85 ± 3 dias de idade) foram submetidos a um dos seguintes 4 tratamentos: machos castrados cirurgicamente (SCM), machos imunocastrados (ICM), fêmeas inteiras (EF) e fêmeas imunocastradas (ICF).

A castração cirúrgica foi realizada em 12 machos aos 5 ± 3 dias de idade, ao passo que a imunocastração consistiu em 2 vacinações em 12 varrascos e 12 nulíparas ao início do ensaio e 28 dias depois (45,4 e 70,6 kg de peso corporal médio, respectivamente). Os porcos foram destinados à elaboração de presunto curado, portanto, são necessários pesos corporais de 126 kg e 167 dias de idade como média e, no mínimo, uma profundidade de gordura da carcaça de 20 mm.

Durante todo o periodo (de 0-82 dias), os SMC foram menos eficientes na conversão de alimento em comparação com os outros tratamentos. No momento do abate, os ICM eram mais pesados ​​que os SMC enquanto que as ICF e EF mostraram valores intermédios. As porcas ICF eram mais gordas, tanto a nível da 10ª costela como a nível do músculo glúteo médio, que as EF enquanto que os machos (SCM e ICM) mostraram valores intermédios. Como consequência disto, as porcas EF tiveram as carcaças mais magras e 25% delas foram rejeitadas por falta de gordura corporal contra 0% nos outros tratamentos. A carne das porcas ICF era mais vermelha (maior a*) que a dos machos ICM, enquanto que a carne dos porcos SMC mostrou uma cor mais intensa (maior C*) e tenderam e ter um menor nível de oximioglobina e metamioglobina que a das porcas EF. O conteúdo de gordura intramuscular não se viu afectado. A imunocastração de machos ou fêmeas teve uma influência limitada sobre os principais ácidos gordos da gordura sub-cutânea ou intramuscular.

Os resultados obtidos permitem concluir que a imunocastração poderá ser interessante nos porcos destinados à elaboração de presunto curado porque, nos machos, melhora o índice de conversão sem penalizar a qualidade da carcaça ou da carne, em comparação com a castração cirúrgica, e nas porcas aumenta a espessura da gordura dorsal da carcaça reduzindo a 0% as rejeições em matadouro por falta de gordura corporal.

A. Daza, M.A. Latorre, A. Olivares, C.J. López Bote. The effects of male and female immunocastration on growth performances and carcass and meat quality of pigs intended for dry-cured ham production: A preliminary study. Livestock Science. Volume 190, August 2016, Pages 20–26. http://dx.doi.org/10.1016/j.livsci.2016.05.014

Abstracts

Efeito do uso de organogeis na qualidade das salsichas05-Jul-2017 há 1 anos 3 meses 14 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags