Leia este artigo em:

Inibição de Listeria Monocytogenes por acetogeninas das sementes de abacate

Neste trabalho foram determinadas as propriedades anti-listeriais de um extracto de acetogenina enriquecido com semente de abacate, em comparação com dois antimicrobianos comerciais.

4ª feira 11 Outubro 2017 (há 8 dias)

Os altos standarts quanto ao controlo de Listeria monocytogenes a procura de produtos alimentares sem aditivos sintéticos por parte do consumidor, representam um desafio para a indústria alimentar.

Neste trabalho foram determinadas as propriedades anti-listeriais de um extracto de acetogenina enriquecido (EAE) com semente de abacate, em comparação com dois antimicrobianos comerciais (um enriquecido com acetogeninas de abacate) e foram avaliadas as moléculas purificadas. Foi quantificada a composição de acetogenina na polpa e semente de abacate Hass. Os EAE foram obtidos através de duas separações sequenciais de cromatografia de partição centrífuga e as moléculas foram purificadas por cromatografia preparativa e por HPLC-MS-TOF e HPLC-PDA.

Os seguintes extractos de sementes de abacate 1) EAE e 2) o antimicrobiano comercial Avosafe®, apresentaram zonas de inibição e perfis químicos semelhantes. Os valores de concentração mínima inibitória (MIC) dos extractos e das duas acetogeninas isoladas variaram entre 7,8 e 15,6 mg/L, foram eficazes a 37 e 4°C e mostraram um efeito bactericida provavelmente causado por um aumento da permeabilidade da membrana e efeitos líticos, evidenciados mediante citometria de fluxo a 10 e 100× MIC. A actividade foi comparável com Mirenat®. As acetogeninas mais potentes foram Persenone C (5) e A (6) e AcO-avocadenina (1), esta última presente de maneira exclusiva na semente. As características comuns das moléculas bioactivas eram o grupo acetilo e as insaturações múltiplas (2 a 3) na cadeia alifática, algumas persenonas também apresentavam um grupo trans-enona. As sementes continham 1,6 vezes mais acetogeninas que a polpa (5048,1 ± 575,5 e 3107,0 ± 207,2 mg/kg de peso fresco, respectivamente) e o conteúdo total na polpa foi de 199 a 398 vezes maior que os valores de MIC. Portanto, os níveis de acetogenina consumidos pelos seres humanos são maiores que as concentrações inibitórias. Os resultados documentam as propriedades das acetogeninas das sementes de abacate como aditivos alimentares naturais anti-listeriais.

Em conclusão, as acetogeninas do abacate possuem uma actividade anti-listerial comparável à dos antimicrobianos comerciais sintéticos, o que indica que os extractos enriquecidos ou compostos isolados de abacate podem ser incorporados em alimentos listos para consumir (RTE) como aditivos naturais para controlar Listeria monocytogenes. Como co-produto da indústria, as sementes de abacate representam uma boa fonte destas moléculas. Os seres humanos já consomem acetogeninas, como a polpa de abacate, acima dos níveis anti-listeriais, no entanto é necessário investigar mais sobre a bio-disponibilidade e a segurança dos extractos enriquecidos e dos compostos isolados.

Salinas-Salazar, C., Hernández-Brenes, C., Rodríguez-Sánchez, D. G., Castillo, E. C., Navarro-Silva, J. M. and Pacheco, A. (2017), Inhibitory Activity of Avocado Seed Fatty Acid Derivatives (Acetogenins) Against Listeria Monocytogenes. Journal of Food Science, 82: 134–144.
doi:10.1111/1750-3841.13553

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags