São 11 semanas consecutivas sem que haja alterações na cotação dos porcos em Portugal

carcaças
carcaças

São já 11 semanas seguidas sem qualquer câmbio. O mercado anda equilibrado, apesar de haver porcos pesados.

18 de Janeiro de 2019

Desde o dia 1 de Novembro que a Bolsa do Porco do Montijo tem mantido a cotação dos porcos. São já 11 semanas seguidas sem qualquer câmbio. O mercado anda equilibrado, apesar de haver porcos pesados. A carne não se consegue valorizar, mas os porcos continuam a abater-se.

Como seria de esperar, houve um acumular de porcos nas explorações fruto da redução de abates devido aos feriados de Natal e Ano Novo, mas a pouco e pouco, as coisas irão regressar à normalidade.

Em todo o caso, é importante que haja um aumento do consumo de carne de porco, seja pelos consumidores Nacionais, seja através da exportação. Para quando o primeiro envio de carne de porco portuguesa para a China?

Naquele país asiático continuam a aparecer múltiplos focos de Peste Suína Africana (PSA) que, pelas informações que nos chegam, indicam que a doença parece estar descontrolada. Deste controlo (ou descontrolo) poderá sair beneficiada a fileira suinícola europeia. Neste momento, os dados oficiais referem que foram abatidos cerca de 700 mil cabeças. Dados dos “mentideiros” referem que os animais abatidos serão muitos mais. Se fôr verdade esta última informação, e se o problema da PSA não afectar o consumo de carne de porco por parte dos chineses, a sua procura na U.E. irá aumentar e isso será um factor muito positivo para o mercado interno.

O mercado europeu bem que precisa de factores que o estimulem positivamente porque, segundo os dados do MPB francês, a média dos preços de base de venda dos porcos em 2018 foram inferiores aos preços de 2017. Senão vejamos:

- Alemanha o preço médio de 2018 foi de 1,416€/kg carcaça (-13,75% do que em 2017, cujo preço foi de 1,642€/kg),

- Espanha o preço médio de 2018, em Lérida, foi de 1,134€/kg PV (-10% que em 2017, que foi de 1,260€/kg PV),

- Holanda o preço médio de 2018 foi de 1,404€/kg carcaça (-13,54% que em 2017, cujo preço foi 1,624€/kg carcaça)

- Dinamarca o preço médio de 2018 foi de 1,163€/kg carcaça (-17,61% que em 2017, cujo preço foi 1,411€/kg carcaça)

- França o preço médio de 2018 foi de 1,196€/kg carcaça (-12,7% que em 2017, cujo preço foi de 1,37€/kg carcaça)

É de notar que nestes países (talvez com a excepção da Espanha) há majorações de preço devido as bonificações da classificação. Portanto, o preço real recebido pelos produtores é superior aos preços indicados acima.

Um dos suportes do mercado europeu são as exportações para Países Terceiros. Os dados referentes às exportações entre Janeiro e Outubro de 2018 dão-nos conta de que as exportações para fora da U.E. aumentaram 1,80% passando dos 3219318 ton. em 2017 para 3227110 ton em 2018. As exportações para a China, neste mesmo período, reduziram-se 2,7% passando das 1158694 ton em 2017 para as 1127381 ton em 2018. Mesmo assim, a China continua a ser, a grande distância, o maior comprador de carne de porco da U.E.. A seguir à China, o segundo maior comprador é o Japão que comprou 381406 ton. entre Janeiro e Outubro de 2018 (+2,0% que em 2017). Seguem-se a Coreia do Sul com 286470 ton (+26,2%), Filipinas com 245981 ton (+14%), Hong Kong 203260 ton. (-35%) e os Estados Unidos com 142797 ton (+7,3%).

No que diz respeito aos abates na U.E., entre os maiores países em termos de abate, está a Alemanha que teve uma redução de 2,62% nos abates em 2018, tendo abatido 49226736 cabeças, a Espanha em 44 semanas teve um aumento de 5,19% em relação ao mesmo período de 2017 tendo abatido 43581370 cabeças, a França +2,50% e a Dinamarca +3,65%, ambas em 52 semanas, abateram 19037273 cabeças e 17498072 cabeças respectivamente, finalmente a Holanda teve um aumento de 3,93% em 49 semanas de abates, o que corresponde a 14866000 cabeças.

Voltando à actualidade, o mercado espanhol espera com grande expectativa a abertura do matadouro do Grupo Pini, que irá trazer algum desequilíbrio à procura de porcos em Espanha e este factor pode ser bom para Portugal no que diz respeito ao ano de 2019.

Quanto à cotação, a Espanha manteve em 1,038€/kg (1,384€/kg carcaça). Os pesos estão no seu nível mais elevado (89,32kg carcaça, novo record) tendo subido 740g na última semana, o que os coloca 140g acima do peso da mesma semana de 2017. Apesar do elevado peso dos porcos, os abates seguem a bom ritmo e isso permite que as cotações se mantenham. As próximas semanas serão cruciais para aferir a evolução do mercado para o mês de Fevereiro e seguintes. Se os pesos continuarem a subir como o fizeram até aqui e os matadouros não conseguirem absorver os porcos, o mercado não andará por bons caminhos. Se, pelo contrário, os pesos começarem a descer nas próximas 2 semanas, as perspectivas serão boas e as cotações terão que subir em Fevereiro. Não esquecer que o matadouro do Grupo Pini começará a laborar no próximo mês.

Na Alemanha, a cotação manteve-se em 1,36€/kg carcaça (cotação que já vigora desde 1 de Novembro, tal como em Portugal). Os alemães consideram que a procura de porcos, por parte dos matadouros, é modesta, mas com semanas completas de abate o mercado terá tendência a equilibrar-se pois a oferta de porcos será menor devido à redução 4% no efectivo alemão ocorrida entre Maio e Novembro de 2018. Esta redução implicará que serão oferecidos menos porcos para abate e, em contrapartida, os alemães irão comprar mais leitões para engordar à Holanda e à Dinamarca e esse aumento da procura implicará que a cotação dos leitões para engordar aumente. O peso subiu 700g para os 97,5kg carcaça. No mercado da carne, a procura é muito reduzida.

A Holanda manteve a sua cotação em 1,35€/kg carcaça, o que não é habitual que esta se mantenha durante tanto tempo sem alterações. A Holanda tem oferecido porcos aos matadouros alemães, que não conseguem abater mais animais, mas, apesar disso, tem havido condições para que a cotação se mantenha.

A Bélgica manteve a sua cotação em 0,87€/kg PV. Em relação aos casos de Peste, houve uma regressão no aparecimento de casos, tendo aparecido 2 javalis positivos fora da vedação criada para conter a doença e em zonas mais a Oeste (mais próximas de fronteira francesa). O Governo Belga já avançou com novas medidas para tentar conter o problema. Esta situação instável não tem permitido que as cotações subam neste país, mantendo-se a um nível bastante baixo, em comparação com os restantes mercados europeus.

Na Dinamarca a cotação também se manteve nesta quinzena em 1,11€/kg carcaça. Após as Festas o mercado europeu retoma a normalidade, mas há dificuldades em vender toda a carne que sobrou. Os matadouros abatem a bom ritmo, mas, dessa forma, irão colocar mais carne no mercado tornando mais difícil a sua venda.

Em França a cotação desceu 0,005€ nesta quinzena para se situar em 1,167/kg carcaça. Os pesos subiram 700g para os 97,0Kg e estão 700g acima do peso da mesma semana de 2017. Há grande amplitudes de preço nas compras de porcos realizadas no MPB o que é sintomático de haver estratégias bem divergentes entre os diferentes matadouros. Apesar de haver um bom volume de abates, os porcos estão bastante pesados e espera-se que as promoções de início de ano possam ajudar fazer baixar os pesos.

Com tantos dados no mercado neste início de ano teremos que aguardar mais umas semanas para ver para que lado “cai”.

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags