Chega o Verão com estabilidade na cotação dos porcos. Atingimos a cotação máxima?

matadouro
matadouro

A cotação apenas subiu 0,007€/kg carcaça na Bolsa do Porco do Montijo na segunda quinzena de Junho.

28 de Junho de 2019

Entrámos no Verão, época onde os consumos de carne de porco são mais elevados. Todavia, o Verão ainda não se fez sentir e, contrariamente ao que costuma ocorrer noutros anos, a cotação dos porcos também não “disparou”. É certo que estamos com um mercado inusual no que diz respeito à cotação dos porcos em toda a Europa e, com cotações tão elevadas como as actuais, é mais difícil que estas subam com alguma significância.

Na realidade, a cotação apenas subiu 0,007€/kg carcaça na Bolsa do Porco do Montijo na segunda quinzena de Junho. O abate de porcos faz-se a bom ritmo impedindo que haja porcos pesados nas explorações, apesar do bom crescimento destes animais, já que as temperaturas se mantêm amenas e não afectam o desenvolvimento dos porcos. Portanto, há equilíbrio entre a oferta e a procura de porcos apesar de ter havido um feriado a meio da quinzena.

O que de facto pode ser preocupante é o preço a que se vende a carne de porco. Uma rápida vista de olhos por panfletos de alguns supermercados damo-nos conta de preços muito baixos da carne de porco comparativamente à cotação das carcaças. Ora, para que haja estes preços baixos na carne, alguém tem de a vender. Mas se os porcos estão caros, como é possível que se venda carne barata? Como se costuma dizer, “alguém vai ficar agarrado”! Esperemos que ninguém fique “agarrado” e que rapidamente se reponham preços da carne condizentes com o preço dos porcos.

Os restantes mercados da Europa também mantiveram as suas cotações durante esta quinzena de Junho, apesar do feriado do Corpo de Deus que implicou uma redução dos abates na grande maioria dos países europeus. O mercado está na expectativa para ver como evoluem os pesos dos porcos, as cotações na Alemanha e as compras da China. Se os pesos baixam muito, haverá condições para que subam as cotações. Em todo o caso, o que pode estimular bem as cotações serão as compras chinesas. Se dispararem os pedidos de carne de porco por parte da China, seguramente que a cotação dos porcos ainda subirá mais.

Neste momento, a oferta de porcos, em toda a Europa, é inferior à procura e esta está a colocar-se ao nível da oferta. Equilíbrio, portanto.

Os pesos dos porcos voltaram a baixar nesta quinzena, mas encontram-se acima dos pesos do ano passado. Esta situação é compreensível, pois os produtores querem rentabilizar os seus porcos vendendo-os mais pesados, até porque com o preço de venda muito acima do custo de produção, vendas a mais peso representam mais rentabilidade.

Um sinal interessante sobre a perspectiva futura do mercado é o preço dos leitões para engorda, que se mantêm estabilizados há já várias semanas. Podemos inferir que os preços dos porcos de abate, para os próximos 3-4 meses, continuarão bons.

Em Espanha a cotação subiu 0,002€/kg PV (+0,003€/kg carcaça) passando a cotação para 1,451€/kg (1,935€/kg carcaça) na primeira quinzena de Junho. Os pesos baixaram 480g em carcaça nesta quinzena e encontram-se 500g acima do peso do ano passado.

Na Alemanha, a cotação baixou 0,02€/kg carcaça passando para 1,83€/kg carcaça mantendo-se o peso em 96,4kg. A descida da cotação foi resultado do “braço de ferro” entre a produção e os matadouros. Na última subida (5 cêntimos), os matadouros não a aceitaram e mantiveram o preço pago nos seus abates. Os produtores, reclamaram com o argumento de que há poucos porcos. Na semana seguinte, a fórmula encontrada foi de descer 2 cêntimos para encontra o equilíbrio no mercado e o consenso entre as partes.

Na Holanda a cotação subiu 0,01€ para 1,86€/kg carcaça. A estabilidade na cotação reflecte o mercado, dando indicações que não existem condições de subida, por agora. Como mera curiosidade, é de salientar a cotação das porcas de refugo, que se encontra em 1,53€/kg carcaça na Holanda.

Na Bélgica a cotação subiu 0,02€/kg PV para 1,25€/kg PV. Neste país, os matadouros precisam subir a cotação mais do que na Alemanha porque, apesar das dificuldades na venda da carne, precisam evitar que os porcos vão para a Alemanha para serem abatidos.

A Dinamarca voltou a subir 0,03€/kg carcaça passando a cotação para 1,58€/kg. No mercado europeu, aproximam-se as férias da indústria transformadora e isso faz reduzir as vendas de carne. As exportações para países terceiros continuam boas, mas começa a haver alguma pressão sobre o preço de venda. Em todo o caso, o mercado tem aguentado esta pressão baixista, já que a oferta de porcos é baixa e permite suportar a pressão.

Em França a cotação subiu 0,003€/kg carcaça ficando em 1,525/kg carcaça. Os pesos baixaram 130g para os 95,17 e estão 820g acima do peso da mesma semana de 2018. A oferta de porcos é reduzida, mas suficiente para as necessidades dos matadouros e do consumo interno de carne de porco. Em função deste equilíbrio no mercado a cotação não sobe. Na realidade, a França tem uma das cotações mais baixas de todos os países da U.E.

O mercado entra numa fase de acalmia à espera das cenas dos próximos capítulos.

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags