Final de Novembro estável, mas com tendência de subida

O mês de Novembro pautou-se pela estabilidade. Apesar de terem havido ligeiras descidas no início do mês, a segunda quinzena foi mais calma tendo mesmo havido uma ligeiríssima subida de 0,009€/kg carcaça na última sessão do mês da Bolsa do Porco. Assim, a cotação subiu para 1,615€/kg carcaça.

6ª feira 2 Dezembro 2016 (há 2 anos 11 meses 10 dias)
gosto

2 de Dezembro de 2016

Após um mês de Outubro com forte turbulência, o mês de Novembro pautou-se pela estabilidade. Apesar de terem havido ligeiras descidas no início do mês, a segunda quinzena foi mais calma tendo mesmo havido uma ligeiríssima subida de 0,009€/kg carcaça na última sessão do mês da Bolsa do Porco. Assim, a cotação subiu para 1,615€/kg carcaça.

Como referi no meu anterior comentário, os preços pagos pelos matadouros e recebidos pelos produtores estão bastante abaixo deste valor.

O mercado nacional vai abatendo os porcos que são oferecidos não havendo atrasos nos abates, o que é um excelente sinal tendo em consideração os feriados de 1 e 8 de Dezembro que devem trazer reduções de abates e alguns atrasos na saída de animais das explorações. Um dado adicional em relação à oferta prende-se com o facto de ter havido redução do efectivo reprodutor em finais de 2015 e inícios de 2016 que afecta a oferta de porcos de abate nesta altura do ano, reduzindo-se a sua oferta evidentemente. Este não deixa de ser um dado positivo para o mercado do porco.

Em todo o caso, entrámos em Dezembro, mês tradicionalmente de bons consumos para a carne de porco e que, normalmente, costuma permitir algumas subidas nas cotações.

Em relação aos mercados europeus, continuaram a haver ligeiras divergências de comportamentos entre os países do Centro-Norte da U.E. e os países do Sul. Um dado interessante em relação aos países europeus é o facto de os matadouros estarem a abater ao máximo das suas capacidades e de haver suficientes porcos para satisfazer as suas necessidades. Este aumento do nível dos abates é já a preparação para a campanha Natalícia que se avizinha.

Assim, a Espanha manteve a sua cotação na segunda quinzena de Novembro nos 1,132€/kg PV (cerca de 1,509€/kg carcaça) apesar do nível de abates do mês de Novembro ter superado 1 milhão de porcos abatidos semanalmente se bem que, mesmo a este nível, os pesos em carcaça subiram 200g.

Mais abates com mais peso implica mais quantidade de carne no mercado e esta tem que ser vendida. Sabendo que o mercado interno da UE tem consumos relativamente estabilizados, é necessário continuar a procurar os mercados exteriores e o chinês principalmente.

Contudo, a Europa é confrontada com a concorrência norte-americana e canadiana, a preços mais competitivos. Apesar dos preços mais competitivos devido ao preço base do porco naqueles dois países ser mais baixo que na Europa, o dólar tem-se valorizado face ao euro o que retira alguma competitividade a estes países. Outro dado importante, que favorece a carne de porco europeia em detrimento da norte-americana, tem que ver com a permissão do uso de ractopamina na produção de suínos dos EUA. Os chineses não querem comprar carne de porco produzida com ractopamina.

Em todo o caso, e como é normal que o preço da carne desça no início de cada ano na Europa, os chineses estarão à espera desta descida e que passe o ano novo chinês (este apenas será no final de Janeiro) para voltarem às grandes compras.

A Alemanha, ao contrário de Espanha, subiu a sua cotação 0,04€/kg carcaça na segunda quinzena de Novembro, fixando-se a cotação em 1,56€/kg carcaça. OS abates andam acima de 1 milhão de cabeças semanais e os pesos subiram para os 96,5 carcaça, que são pesos perfeitamente normais para o mercado alemão.

Segundo informa a AMI (organização de mercado alemã) no mercado da carne, a situação não é a mesma que no mercado do porco. Os matadouros estão no máximo da sua capacidade de produção enquanto que o comércio parece ter estagnado os seus pedidos. Ou seja, os preços da carne não podem subir mais, já que a sua oferta é grande. O matadouro melhorou as suas margens mas vê de todo impossível que haja subidas no preço da carne e, consequentemente, na cotação dos porcos.

Na Holanda e na Bélgica as cotações subiram 0,04€/kg carcaça para 1,49€/kg e 0,03€/kg PV fixando-se a cotação em 1,08€/kg PV, respectivamente.

A Dinamarca a cotação também subiu. Nesta quinzena a subida foi de 0,06€/kg carcaça passando a cotação para 1,40€/kg carcaça. Os dinamarqueses referem que as vendas de carne se encontram em grande ritmo, havendo até situações pontuais de dificuldade de abastecimento do mercado, isto para o mercado interno da UE. Para o mercado de países terceiros, as vendas para a China e para o Japão encontram-se estáveis.

Em França a cotação manteve-se toda a quinzena em 1,300€/kg carcaça. Os pesos subiram 700g para os 95,5kg de carcaça. Segundo informação do MPB, o mercado encontra-se equilibrado e as ofertas de porcos ajustam-se às necessidades dos matadouros e às vendas da carne tendo em consideração os atrasos devido aos feriados de Novembro (dias 1 e 11)

Como se costuma dizer, o “ano está feito”. Em todo o caso, é importante que o mês de Dezembro possa trazer uma subida às cotações de forma a que a cotação de partida de 2017 seja mais agradável para todos.

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags