Leia este artigo em:

A procura de carne fresca de suíno diminui em Espanha

A procura de carne fresca de suíno diminui 2,0% em relação ao ano 2017.

4ª feira 10 Julho 2019 (há 4 meses 10 dias)
gosto

O Ministro da Agricultura, Pesca e Alimentação em funções, Luis Planas, apresentou, na sede do Ministério, os dados do relatório de Consumo Alimentar em Espanha 2018, que dá uma visão de conjunto sobre o comportamento alimentar das pessoas residentes no país vizinho, tanto dentro como fora dos lares.

Segundo detalhou, os gastos totais em alimentação em 2018 ascenderam a 103077,41 milhões de euros, que representa um incremento de 0,5% em relação a 2017, mantendo-se a tendência crescente dos últimos anos. Do total, 66,5% destinou-se ao consumo doméstico e 33,5% (34539 M€) a consumos fora de casa.

Consumo de carne

Em 2018 produziu-se uma contracção da demanda de carne fresca (-3,8%). O valor também decresce 1,7%, descida moderada devido ao incremento do preço médio pago, que aumenta em 2,1%, fechando em 6,07 €/kg. Os lares destinam 5,3% do orçamento para alimentação e bebidas para a compra deste tipo de carne, o qual implica um gasto por pessoa e ano de 203,28€, o que se traduz numa redução de 2,1% em relação a 2017.

Carne de porco

Em termos de volume, 37,5% dos quilos de carne fresca consumida nos lares pertencem à carne fresca de frango, 29,8% corresponde a carne fresca de porco e 14,6% são de carne fresca de bovino. Em termos de valor, lidera a categoria a carne fresca de porco com 29,2%, seguida da carne de frango com 26,7% e por último a carne fresca de bovino com 23,1%.

A demanda de carne fresca de porco diminui 2,0% relativamente ao ano 2017. No valor gasto, a redução não é tão abrupta (−0,7%). O preço médio deste tipo de carne aumenta 1,2%, o preço médio da carne de porco foi, no final do ano 2018, 5,9€/kg.

O consumo por pessoa e ano foi de 9,99 quilos, uma quantidade 2,3% menor que o ingerido no ano 2017.

Supermercados e autoserviços, canal principal de compra de carne fresca de porco, assumem 46,1% do volume total e aumentam 1,6% o seu volume relativamente ao ano anterior. As lojas tradicionais são o segundo canal com maior participação no volume de carne de porco (26,5%), que sofreu uma descida de 5,8%. O canal que apresenta maior crescimento em 2018, com 7,2%, é a loja de desconto, com uma percentagem no volume de vendas de 9,9%.

O preço médio da carne de porco aumentou 1,2% em comparação ao ano 2017, fechando em 5,93€/kg. Este aumento é extensível a todos os canais de compra, com a única excepção a ser nas lojas de desconto (-0,8%) e sendo o e-commerce o canal de maior crescimento (+13,0%). As lojas de desconto são o canal que oferece o preço mais acessível (12,6% mais acessível que a média nacional). A loja tradicional, tal como as demais variantes da carne, continua a ter o preço mais elevado, 0,84€/kg superior ao preço médio.

Em 2018, as Comunidades Autónomas com maior consumo deste tipo de carne são, a Galiza, Castela-La Mancha, Castela e Leão entre outras. As que menos consomem carne fresca de porco são as Canárias, Comunidade Foral de Navarra e Ilhas Baleares.

Sexta-Feira, 21 de Junho de 2019/ MAPA/ Espanha.
https://www.mapa.gob.es

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3
Insere um novo comentário

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags

Última hora

Um boletim de notícias sobre o sector da carne de porco

Não estás inscrito na lista

15-Nov-201908-Nov-201931-Out-201925-Out-2019

faz login e inscreve-te na lista

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui