Leia este artigo em:

Aumento da resistência aos antibióticos na União Europeia

Os cientistas advertem que la resistência à ciprofloxacina é muito alta em Campylobacter e que a resistência da Salmonella a múltiplos fármacos continua a alargar-se.

4ª feira 11 Maio 2016 (há 2 anos 2 meses 5 dias)

As bactérias em humanos, alimentos e animais continuam a apresentar resistência aos antibióticos mais utilizados, segundo o último relatório sobre a resistência aos antibióticos em bactérias zoonóticas na Europa. Os cientistas advertem que a resistância à ciprofloxacina, un antibiótico de importância crítica em humanos, é muito elevada em Campylobacter, o que reduz as opções para o tratamento eficaz das infecções graves transmitidas pelos alimentos. A resistência da Salmonella a múltiplos fármacos continua a alargar-se por toda a Europa. O relatório también destaca a presença de resistência à colistina em Salmonella e E. coli nas aves de produção na UE.

Além dos altos níveis de resistência que se apresentam em toda a Europa, o relatório refere a existência de grandes diferenças regionais. Os níveis mais elevados de resistência aos antibióticos (RAB) observam-se na Europa oriental e meridional.

Resultados chave

  • Campylobacter - a campilobacteriose é a doença transmitida pelos alimentos mais comum na UE. A resistência aos antibióticos amplamente utilizados, tais como ciprofloxacina, foi detectada com frequência em bactérias dos seres humanos e aves de produção. Observou-se resistência à ciprofloxacina de elevada a muito elevada em frangos de engorda (69,8%), bem como em humanos (60,2%) e de elevada a extremamente elevada a resistência ao ácido nalidíxico e às tetraciclinas em frangos de engorda.
     
  • Salmonella - a salmonelose é a segunda doença transmitida pelos alimentos na UE. A resistência aos antibióticos amplamente utilizados foi detectada com frequência em Salmonella de humanos e aves de produção (tetraciclinas 30%, sulfonamidas 28,2% e ampicilina 28,2%). A prevalência da resistência a múltiplos fármacos foi elevada em bactérias em seres humanos (26%) e especialmente elevada em frangos de engorda e carne de perú (24,8% e 30,5%, respectivamente). Alguns tipos de bactérias de Salmonella (Salmonella Kentucky e Salmonella Infantis), são de particular preocupação, já que apresentaram um elevado nível de resistência à ciprofloxacina e uma elevada resistência a múltiplos fármacos. Também se observou o aparecimento, em níveis baixos em aves de produção, de Salmonella produtora de beta-lactamase de espectro de dispersão (BLEE). Também se notificou o aparecimento de um clone de Salmonella Infantis multiresistente e produtor de BLEE nos seres humanos e nas aves de produção.

Quinta-Feira, 11 de Fevereiro de 2016/ EFSA/ União Europeia.
http://www.efsa.europa.eu

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags

Última hora

Um boletim de notícias sobre o sector da carne de porco

Não estás inscrito na lista

13-Jul-201806-Jul-201829-Jun-201822-Jun-2018

faz login e inscreve-te na lista

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui