Leia este artigo em:

O USDA publica relatório sobre o sector suinícola espanhol

O relatório do USDA destaca a figura da Espanha como exportador líquido de carne de porco com aproximadamente 40% da produção exportada.

4ª feira 18 Maio 2016 (há 1 anos 9 meses)

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos publicou um relatório sobre o sector suinícola espanhol. O relatório destaca que o sector suinícola é o sector pecuário mais importante em Espanha, com um aumento de 5% nos abates durante os primeiros 10 meses do ano passado, segundo dados obtidos no Ministério da Agricultura espanhol.

O USDA indica que, segundo as estimativas do Eurostat, o efectivo suinícola espanhol durante os nove primeiros meses deste ano 2016 aumentará 3,9% relativamente ao mesmo período do ano passado enquanto que as estimativas do sector situam o crescimento en 3,5% para 2016 e um aumento de 3,9% na produção de carne de porco, com o ponto de inflexão para uma estabilização ou, inclusive, uma redução da produção em 2017.

Também informa sobre as campanhas da Interporc, promovendo a qualidade dos produtos de carne de porco espanhóis nos mercados asiáticos, focando os esforços no Japão, China e Coreia do Sul bem como promovendo a carne de porco a nível interno mediante anúncios publicitários na televisão e rádio e conferências sobre nutrição. A América Central e do Sul também são novos mercados estratégicos com um aumento da procura.

O relatório do USDA destaca a figura de Espanha como exportador líquido de carne de porco com aproximadamente 40% da produção exportada, destacando o aumento de 17% nas exportações entre Janeiro e Outubro de 2015 tanto para outros Estados Membros da União Europeia como para Países Terceiros (13,7% e 26,5%, respectivamente). França, Itália e Portugal continuam a ser os principais destinos seguidos pela China (+65 %) e Japão. Dentro da UE28 observa-se importantes aumentos nas exportações para a Polónia, Bulgária e Roménia bem como fortes aumentos para novos mercados como Taiwán, Nova Zelândia, Singapura, Vietname ou Malásia mas também África.

O ano 2015 foi um ano negativo para o sector nos que se refere a lucros e o sector prevê que a tendência seja a mesma ou ainda pior em 2016. De Janeiro de 2014 até Dezembro de 2015 os preços para os suinicultores reduziram-se 25% enquanto que o preço ao consumidor só diminuiu 1%. O relatório do USDA indica que os custos de produção se situam entre 1,08 -1,10 €/kg com um preço vivo de 0,96 €/kg em 2016. A Bolsa de Mercolleida confirma a tendência para a descida nos preços para o porco vivo desde 2013 (1,37 €/kg em 2013, 1,27 €/kg em 2014 e 1,13 €/kg em 2015). Para travar a queda dos preços, a Espanha pediu ajudas para o armazenamento privado para o total de 19300 toneladas de carne, o que equivale a 21,5% do total dos pedidos da UE.

Terça-Feira, 16 de Fevereiro de 2016/ FAS-USDA/ Estados Unidos.
http://gain.fas.usda.gov

Última hora

Rabobank: cadeia de valor cereais-carne de porco na UE17-Mai-2016 há 1 anos 9 meses 1 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags

Última hora

Um boletim de notícias sobre o sector da carne de porco

Não estás inscrito na lista

16-Fev-201809-Fev-201802-Fev-201826-Jan-2018

faz login e inscreve-te na lista

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui