Leia este artigo em:

Portugal: Balanço de abates e trocas comerciais de produtos de suíno no 1º trimestre de 2016

Os abates aprovados para consumo no nosso país durante o primeiro trimestre de 2016 aumentaram 6,0% no número total de cabeças (1384315 em 2016, contra os 1306373 de 2015

3ª feira 24 Maio 2016 (há 2 anos 3 meses 28 dias)

De acordo com os dados publicados pelo GPP relativos aos abates aprovados para consumo no nosso país durante o primeiro trimestre de 2016, houve um aumento de 6,0% no número total de cabeças (1384315 em 2016, contra os 1306373 de 2015) em comparação com o mesmo período de 2015. Estes números são decompostos entre 1132581 cabeças de porcos de abate (+2,9% do que em 2015) e 242598 leitões (+24% que em igual período de 2015) e 9136 reprodutores (-10% que em 2015).

Os pesos de abate também aumentaram em ambas as classes, sendo que o aumento foi de 4,6% nos porcos de abate e de 25,5% nos leitões, o que significa que os animais foram abatidos a pesos mais elevados.

No que diz respeito às trocas comerciais no primeiro trimestre de 2015 e quando comparados com o mesmo período de 2015, as importações de suínos e sua carne reduziram-se 7,7% e as exportações aumentaram 12%. No total, e em quantidades, as importações foram de 55780,6 tons em 2016 (60412,5 tons em 2015) e as exportações foram de 19086,4 tons (17046,4 tons em 2014).

Decompondo estes números, e começando pelas importações, temos que as importações de animais vivos para abate baixaram 4,2% passando das 32301,1 tons em 2015 para as 30944,7 tons em 2016. No que se refere à carne fresca e refrigerada a redução foi de 14,2% passando das 21270,8 tons em 2015 para as 18258,8 tons em 2016. Já as importações de carne congelada baixaram 3,8% passando das 6259,1 tons em 2015 para as 6024,1 tons em 2016. As importações de miudezas subiram 4,8% passando das 508,8 tons em 2015 para as 533,4 tons em 2016.

No que diz respeito às exportações, Portugal aumentou as suas vendas ao exterior em 12,0%. Assim, no que se refere à venda de animais vivos para abate houve uma redução de 0,1% passando das 6896,6 tons em 2015 para as 6891,5 tons em 2016. Já a venda de carne fresca e refrigerada apresentou uma subida de 32% em relação a 2015, passando das 3983,4 tons para as 5257,2 tons. Na carne congelada a subida foi mais significativa, tendo sido de 41,4% em 2016 quando comparada com o ano anterior, passando das 3131,2 tons para as 4428,8 tons. A venda de miudezas apresentou uma descida de 4,% passando das 2566,0 tons para as 2448,6 tons.

Em relação ao valor em euros, as importações diminuíram 18,1%, já que 2015 tinham sido de 98,96 milhões de euros e em 2015 foram de 81,06 milhões de euros. Já as exportações reduziram o seu valor de comercialização em 2,0%, sendo que em 2015 tinham sido 31,3 milhões de euros e em 2016 foram de 30,7 milhões de euros.

Daqui pode-se concluir que, tanto as importações como as exportações de Portugal em 2016, foram a preços mais baixos do no ano anterior.

Segunda-Feira, 23 de Maio de 2016, Boletim SIMA Informação Semanal

Última hora

Ranking dos principais matadouros alemães em 201524-Mai-2016 há 2 anos 3 meses 28 dias

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags

Última hora

Um boletim de notícias sobre o sector da carne de porco

Não estás inscrito na lista

21-Set-201814-Set-201807-Set-201827-Jul-2018

faz login e inscreve-te na lista

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui