Leia este artigo em:

Sector suíno britânico após o Brexit

O Reino Unido pode decidir manter as taxas aduaneiras de importação da carne de porco aos níveis actuais da UE e aplicá-los às importações da UE...

2ª feira 17 Outubro 2016 (há 2 anos 1 meses 23 dias)

A Junta de Desenvolvimento de Agricultura e Horticultura do Reino Unido (AHDB) publicou um relatório sobre os efeitos do Brexit nos diferentes sectores agrícolas e pecuários do Reino Unido. O sector de alimentos e bebidas é o quarto maior sector em importância dentro das exportações, com um valor de £ 6.250 milhões por ano.

Oportunidades

O Reino Unido pode decidir manter as taxas aduaneiras de importação da carne de porco aos níveis actuais da UE e aplicá-los às importações da UE, a menos que se chegue a um acordo comercial. Também poderá decidir a aplicação de quotas para permitir algumas importações. Estas acções podem limitar significativamente o volume da carne de porco procedente da UE que entra no mercado do Reino Unido. A curto prazo, esta acção poderia afectar notavelmente a oferta no mercado nacional à espera que a produção nacional respondesse à variação dos fluxos comerciais.

Por outro lado, quanto aos mercados fora da UE, o Reino Unido poderá dar prioridade aos TLC, que poderia beneficiar os exportadores de carne de porco. Os benefícios podem surgir em particular de uma melhor valorização para as exportações de cortes de menor valor e sub-produtos, já que estes produtos têm pouco ou nenhum valor no mercado nacional. Da mesma forma que a China, pode haver oportunidades nos mercados emergentes em outras partes da Ásia e África, se os acordos comerciais adequados puderem ser negociados.

Riscos

Quanto à carne de porco, segundo o relatório, se o Reino Unido saísse da UE antes de chegar a um acordo comercial, deixaria as tarifas aplicadas à carne de porco exportada para outros países da UE numa situação de vulnerabilidade. Dado que 70% das exportações de carne de porco estão destinadas à UE (fig.1), isto teria um impacto considerável no mercado de exportação do Reino Unido, com um efeito de arrasto sobre os preços.

Exportações de carne de porco do Reino Unido, 2015

exportaciones porcino UK

Fonte: HMRC

Do mesmo modo que com outras carnes, existe o risco de que o acesso a alguns mercados para a carne de porcos ou sub-produtos dependa de que o Reino Unido siga as normas e regulamentos da UE. Se os acordos comerciais não forem renegociados, este comércio poderá ser encerrado, pelo menos temporariamente. No caso de que o Reino Unido decida não impôr taxas aduaneiras às importações, cotas ou negociar com os exportadores mundiais, isto poderá deixar o mercado do Reino Unido numa situação vulnerável para uma carne de porco mais barata, por exemplo, dos E.U.A., Canadá ou Brasil, que operam a um custo muito mais baixo de produção. Isto poderá causar um grande excesso de oferta no mercado interno e a resposta dos níveis de produção perante a nova situação levaria algum tempo. Se bem que grande parte desta oferta adicional pode deslocar as importações procedentes da UE, o preço do porco no Reino Unido seria afectado negativamente. Isto poderia conduzir a uma redução substancial do tamanho do efectivo suíno do Reino Unido. A procura de consumo pode aumentar se o preço cai, mas a história recente demonstrou que isto nem sempre é assim, já que muitos factores influem na decisão final de compra.

Em resumo:

  • Actualmente, a UE fornece cerca de 60% da procura britânica de carne de porco.
  • As exportações são importantes para trazer valor a recortes pouco populares entre os consumidores do Reino Unido.
  • As taxas ou cotas no volume de carne de porco objecto de comércio entre a UE e o Reino Unido poderiam significar movimentos dos preços, afectando a procura.
  • As taxas aduaneiras de importação da UE poderiam travar as exportações de carne de porco para o principal cliente do Reino Unido para esta carne, a Alemanha, reduzindo seriamente o valor das porcas britânicas.
  • Os acordos comerciais e regulamentares unilaterais com outros países sobre alguns produtos poderiam evitar a necessidade das complexas negociações do TLC.

Quarta-feira, 12 de Outubro de 2016/ AHDB/ Reino Unido.
http://www.ahdb.org.uk

Comentários ao artigo

Este espaço não é uma zona de consultas aos autores dos artigos mas sim um local de discussão aberto a todos os utilizadores de 3tres3

Para fazeres comentários tens que ser utilizador registado da 3tres3 e fazer login

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui

tags

Última hora

Um boletim de notícias sobre o sector da carne de porco

Não estás inscrito na lista

07-Dez-201830-Nov-201823-Nov-201816-Nov-2018

faz login e inscreve-te na lista

Ainda não és utilizador registado de 333?regista-tee acede a preços dos porcos, pesquisador, ...
É gratuito e rápido
Já estás registado na 333?LOGINSe esqueceste a tua password nós enviamos novamente aqui